Domo! Ogenki desu ka?

Então, vamos dar início à primeira de muitas "aulas" de Japonês! (está entre aspas porque eu definitivamente não sei muita coisa de Nihongo...)

Ima, vamos começar dando uma breve introdução ao sistema japonês de escrita, destacando alguns conteúdos básicos antes de começar a aprender o idioma.

À primeira vista, o idioma japonês mais parece um bicho-de-sete-cabeças, mas na verdade, é bem fácil. O que dificulta o aprendizado é a escrita.

O Nihongo possui silabários (hiragana e katakana) e os famosos ideogramas chineses (que são chamados de kanji), além do furigana (kanjis com hiraganas ou katakanas escritos em cima ou ao lado do mesmo) e do romaji (a forma romanizada do Japonês, ou seja, o Nihongo escrito com as nossas letras).
- Ok, mas qual é a diferença entre tudo isso aí, Ana?

  • O hiragana é o silabário criado para escrever palavras apenas do idioma japonês. É o primeiro silabário a ser aprendido. Por isso, estude o silabário hiragana com muita atenção e dedicação.
  • O katakana foi criado para escrever palavras vindas de outros idiomas. É o segundo silabário a ser aprendido. Inclusive, pode ser facilmente encontrado em títulos de animês (Dragon Ball Z, por exemplo), tokusatsus (Changeman, por exemplo), games, etc.
  • Os kanjis são os famosos ideogramas chineses introduzidos na escrita japonesa há muito tempo atrás. São muito numerosos - alguns kanjis são bastante difundidos e outros são bem raros - e a complexidade dos traços pode variar (desde os mais fáceis até os mais difíceis). Vale lembrar que nem sempre um kanji em chinês terá a mesma pronúncia em japonês - em breve você verá o porquê. Entre vários usos, usamos, por exemplo, kanjis para escrever nomes (apenas nomes vindos do japonês e do chinês. Em breve você verá como escrever o seu nome em Japonês).
  • O furigana, de longe, é o mais fácil, desde que você tenha aprendido o hiragana e o katakana com êxito. É um kanji qualquer com algo escrito em hiragana ou em katakana, acima do kanji ou ao lado deste. É bastante comum encontrar furigana em livros para crianças.
  • O romaji pode parecer simples, mas é um pouco complicado: transcrever palavras japonesas para o nosso alfabeto pode parecer simples, mas existem regras para isso. Aqui, no No Reason, utilizaremos a Romanização Hepburn.
Ok, encerramos aqui as noções básicas para o aprendizado do Japonês. Agora é hora de mostrar alguns links que possam ajudar no seu aprendizado!

  • Virtual Rotation: é um ótimo site para ler letras de músicas-tema de tokusatsu. Assim, você pode ter uma noção de como as palavras estrangeiras entram no idioma japonês, de como é a romanização e, inclusive enriquecer o seu vocabulário.
  • Hiragana e katakana na Wikipédia: é bom você começar a aprender esses silabários o mais rápido possível. Dedique-se ao máximo - esses silabários são essenciais. (clique nos caracteres para ver a ordem dos traços. Fazer traços corretos é fundamental!)
Dicas para um melhor aprendizado:
  • Preste atenção na pronúncia das palavras. Ter um idioma fluente é ótimo!
  • Não se mate de estudar todos os dias - uma mente cansada não é uma mente produtiva. Você pode estudar todos os dias, mas você precisa dar uma "folga" para a sua cabeça.
  • Tenha um caderno de anotações. Escrever é fundamental para o aprendizado de qualquer idioma.
  • Treine os traços dos caracteres com freqüência. Assim, você se acostumará com a escrita japonesa rapidamente.
  • Tenha, inclusive, um bom Inglês - várias palavras japonesas vêm do Inglês.
Se houver dúvidas, não hesite em perguntar!

E é assim que a primeira "aula" de Nihongo termina hoje!

Sayonara!