Último post de 2010

O último post do ano não será sobre fim de ano, realizações ou coisa do tipo. Não, não. Será sobre velhas gordas, lojas fedorentas e nozes. Se achar o texto ruim, lembre-se: eu não escrevo, vomito palavras.



Eu sei. À primeira vista, parece uma sketch do Monty Python, ou ainda, um péssimo texto de stand-up. Mas juro que é verdade. 

Foi nesta semana, não lembro que dia. Fui ao shopping com minha mãe, minha prima, minha outra prima de 3 anos e minha avó. Andamos pelo shopping e tal, mas a fome bateu e fomos à praça de alimentação. A senha que era mostrada era a 95; pegamos a senha 01. Até aí, tudo bem, esperamos meia hora. O pior veio depois.

Comemos até explodir. Depois andamos mais um pouco pelo shopping e resolvemos entrar numa loja de bijuterias. A loja parecia normal, não fosse pelo extraordinário e singular cheiro de ovo. Sim, a loja estava cheirando a ovo. Mas não era um canto da loja, não - era a loja toda. Pensei que fosse coisa da minha cabeça, que produz merda em quantidades incríveis; minha mãe logo veio me perguntar: "Impressão minha ou a loja tá fedendo a ovo?". Não era impressão de ninguém. Aposto meu Wii que não fomos as únicas a notar tal odor. 

"Porra. Lavaram a loja com ovo... de avestruz", falei.

Mas por incrível que pareça, o pior ainda estava por vir, no mesmo local, por coincidência ou não. Resolvemos deixar o odor de lado e demos uma olhada no que tinha na loja - bijuterias. Até que nos deparamos com um lindo colar, cujo destaque era uma noz. "Uma noz?", o leitor pergunta. Era um colar de pedras azuis e uma noz no meio. Não era uma noz qualquer: era uma noz, de plástico, mas de tamanho natural.

"Quem DIABOS faz um colar com uma noz no meio? Quem foi o gênio que teve a idéia de comercializar algo DESSE tipo? E quem será o jacu que vai comprar essa desgraça?", eu disse. Pelo menos deu pra fazer uma péssima piada usando a frase "o jardineiro é Jesus, e as árveres somos nozes".

Após o acontecido, pegamos o elevador para ir ao estacionamento. Fomos as primeiras a entrar, mas logo o elevador encheu. Minha prima de 3 anos foi quase sufocada pela bunda de uma velha gorda, aparentemente crente, que vestia uma blusa bordô e uma saia preta. "É duro ser baixinha, né Juju?", disse minha avó, demonstrando toda sua técnica e maestria em termos de cara de pau.

Pensei: "Cara... essa véia tem cara de quem solta uns peidos poderosos. Tem cara de quem peida debaixo do cobertor e cheira. Tem cara de quem solta um rojão no culto da igreja e depois fala pro pastor que é o capeta se manifestando. Se duvidar, ela é a culpada pelo cheiro de ovo daquela loja. Se essa velha resolve peidar aqui... Coitada da Juju."

Depois que saímos do elevador, fiz questão de contar os meus pensamentos sobre a velha para minha mãe, minha avó e minhas primas.

E o dia seguiu normal.

Assinado:
Ana Satou.

Reações: 

Matrix Chicken

Reações: 

GET READY FOR THIS



Reações: