Neste dia, no ano de 1995, Deus disse: “É hoje que a Ana nasce, quero nem saber, se virem aí.” E desde então recebo os parabéns.

Nestes 17 anos de vida, não fiz nada além de comer, cagar, respirar e estudar. Não fiz nada de diferente para a humanidade. Não mudei a vida de ninguém. Não sou nenhuma heroína. Não fiz nada marcante. Então, pergunto: parabéns POR QUÊ?

“Porque você é uma menina inteligente que está 4 anos adiantada na escola.” – Ah, tá. Grande merda. O pessoal acha que isso é ultracool mas na verdade não faz diferença alguma na minha vida. Não me traz nem status e nem benefícios. E também não ajuda a inflar o ego.

E completar 17 anos não é algo marcante que vai mudar sua vida. Nunca vi graça nessa coisa de “você tem 17 anos? NOSSA, DEVE SER MÁGICO”. Não é. A vida, as pessoas queridas, os filhos da puta, as graças e os problemas continuam os mesmos. Não vejo motivo de tanta comemoração para algo que representa só um ano a mais. Engraçado que sempre tive essa linha de pensamento. Minha mãe queria fazer uma festa de 15 anos em 2010, mas eu recusei a proposta. Primeiro porque eu não conheço gente o suficiente pra convidar pra uma festa. Segundo: eu odeio festas. Terceiro: gastar dinheiro com merda pra que?

Fora aquela hipocrisia básica… O povo deve ter recebido na caixa de entrada do e-mail a mensagem do Facebook: “Você tem 1 amigo que faz aniversário essa semana”. Se não fosse por isso, eu duvido que 90% do pessoal que conheço teria me dado os parabéns. Apesar que só 4 deles fizeram isso… Menos mal. Quanto menos gente fazendo isso, melhor.

O problema é: dessas 4 pessoas, 3 não falam comigo. Passam anos inteiros sem lembrar da minha existência. Mas, graças à rede social do Tio Zuckerberg, eles podem ser “educados” – porque é óbvio que eles fazem isso pra passar a imagem de pessoas educadas. Tudo bem, respondi de boa no Facebook, mas a vontade era de dizer: “Véi… Vocês não falam comigo, não lêem meu blog, não me conhecem o suficiente pra saber se mereço os parabéns. Por que fizeram essa merda?”

E não, não é mimimi aborrescente. Sou grata a Deus e a tudo que acredito pelo que tenho, agradeço aos familiares e aos poucos amigos que lembraram da data… Mas não vejo motivo algum para a parabenização. Eu não faço porra nenhuma além de comer, cagar, respirar, estudar e postar merda.

Who cares?