Texto postado em Imbecil e Inexperiente no dia 17 de março de 2012.

Segundo post polêmico do dia. Yay!

Fiz uma pequena introspecção esses dias. Nada demais, eu gosto de fazer isso. Faz bem…

Enfim… O pensamento que deu origem a esta postagem foi bem simples:

“Estou a alguns passos de completar 17 anos. Logo me formarei. Tirando os anos adiantados na escola, os gostos estranhos e os poucos amigos, o que mais me diferencia do resto? Só pode ser a virgindade.”

Não que eu reclame por ser virgem, muito pelo contrário. Me orgulho disso. É o porquê desse orgulho que ninguém entende. O que direi a seguir pode parecer extremamente egoísta e metido – e é, infelizmente –, mas até que faz sentido:

Apenas os desesperados por atenção se deixam levar pela promiscuidade em idade tão tenra. Sabe, pessoas que não sabem aproveitar a idade pra fazer algo produtivo, ou no mínimo criativo. A maioria esmagadora e desvirginada crê que aproveitar a juventude é isso: beber, talvez até fumar, dançar, passar vexame nas ruas de madrugada, “pegar geral” e transar. Me enoja só de pensar em estar no lugar desses seres. Aliás, odeio o termo “pegar”. Ô geração escrota essa em que vivo.

Eu sei escrever. Meus textos podem não ser grande coisa, mas são melhores do que muitos criados pelo pessoal da mesma faixa etária que a minha. Dê uma revirada nos blogs e tumblrs adolescentes, e espante-se com a mediocridade. Só não diga que eu não avisei.

Eu sou inteligente, por mais que neste blog eu prove o contrário. Sou bonita à minha maneira – menos quando acordo. E, acima de tudo, tenho algo importantíssimo chamado respeito próprio.

Eu me respeito. Por me respeitar tanto, não me deixo envolver com qualquer merda só porque a maioria o faz. Não fumo e não bebo porque não vejo razões plausíveis para estragar meus pulmões e meu fígado a esmo. Não beijo qualquer moleque retardado só porque as biscates precoces vivem disso. Por isso, não sou vazia como o resto: tenho princípios.

Se essas pessoas fossem tão felizes consigo mesmas, elas estariam fazendo tamanha merda? É o jeito delas de se iludirem.

Já disse PC Siqueira: “as pessoas saem na rua pra tomar no cu.” Não sou muito fã dele, mas isso é verdade. Acham que isso é diversão, mas no fundo sabe o quanto são vazias.

Nunca beijei ninguém. Nunca tive paixões – até porque nessa idade, dizer que tenho “experiência” no assunto, é babaquice. Muito menos transei. E adivinhe só: sou feliz assim. Não que eu queira ficar assim pro resto da vida. Apenas creio que tudo na vida tem seu tempo. E tudo é apressado demais nessa geração. Whoa there, slow down…

E não, não estou aqui para dar uma de “crente pura, glória irmãos”. Longe disso. Quero apenas mostrar que tem algo errado nisso aí, e que esse pessoal vazio deveria se questionar. Mas eu duvido que isso aconteça.

Se você chegou a este blog, leu este post e se identificou, fico feliz. É sinal de que também existe vida inteligente na Terra.