Abri mão de algumas pessoas. Chega uma hora em que, de tanto a pessoa reclamar da própria vida, acaba desgastando todas as amizades que possui. Foi o que aconteceu com um ser infeliz aí. Não sou obrigada a ser psicóloga 24 horas de uma pessoa que cria 99% dos problemas que tem. O mesmo ser infeliz, aliás, descontente com a eficácia da irritação causada pelos seus próprios feitos, resolveu desenvolver um endeusamento doentio sobre (pasmem) eu mesma.

Pois é, quem diria. Eu, doentiamente idolatrada. Tragicômico. Não me importaria tanto se ele não fosse tão assíduo no ofício de ser irritantemente pegajoso e insistente.

Mousse Pilgrim Ribeiro de Pégaso (nome completo do ser irritante; logo explico o porquê do pseudônimo), por ter sido criado num background familiar não muito caloroso, desenvolveu uma carência afetiva enorme, quase que insuprível. Friso: este não é o problema. O problema é ele depositar em mim todas as esperanças de resgatar os amores que não teve (que incluem storge, philia e eros), quando na verdade, tudo o que sinto por ele é um leve toque de empatia com uma generosa dose de pena.